18/07/2008

Nimphets - fadas demoníacas ou crianças inocentes....???

Ontem comecei a ler um livro
que há tempos me aguçava
a curiosidade.

LOLITA







Trata-se de uma estória de desejo, ânsia e desespero de um certo Sr. Humbert por uma pré-adolescente de 12 anos de idade.

Tudo começa no verão de 1923, quando o então jovem Humbert conhece Annabel, sua primeira paixão. Ela com 12 anos e ele com 13. Normal até então, pois ambos estão explorando suas sensualidades.Mas depois de sua primeira experiência sexual com essa jovem, ela vai embora pra um outro país e morre 4 meses depois.


Aos treze anos de idade Humbert perde seu primeiro amor, e a fixação pela imagem da pequena Annabel iria povoar a sua mente pelo resto de sua vida.

Passaram-se 25 anos, até que Humbert conhecesse Dolores (Lolita)... Depois de muitas experiências com prostitutas mirins, depois de um enfadonho casamento por conveniência que durou 4 longos anos...Depois de tantos passeio ao Central Park afim de ficar a observar as “pequenas”...

Depois de ter ido parar três vezes em um sanatório por problemas psíquicos relacionados a seus desejos sexuais por pré-adolescentes...
Enfim, Mr. Humbert conhece Lolita...

Na página em que estou, o romance ainda nem começou. Mas nos leva a vivenciar e entrar na mente de um perturbado ninfomaníaco. O autor narra a estória em 1ª pessoa, ou seja, como se o livro fosse um seu Diário, e ele estivesse a nos contar a estória de sua vida...Então o autor tenta se redimir de sua culpa, ao mencionar casamentos por conveniêcia que existem no Norte da Índia, com meninas ainda em faze púbere...ou, outras estórias de casais que se casaram muito jovens...é estranho estar lendo um livro em que, de todas as formas, o autor tenta fazer com que não culpemos o narrador, ou seja, Sr H., e que, de certa forma, culpa as meninas por seu comportamento. (Discordo plenamente...uma menina de 9,10,11,12 ou 13 anos é uma criança...Que jamais intencionaria aguçar o desejo sexual de quem quer que fosse.)



Em sua insanidade, Humbert teoriza as orígens do termo ninfeta:

"Entre o limite de idade que vai dos nove aos catorze, existem raparigas que, diante de certos viajantes enfeitiçados, revelam sua verdadeira natureza, que não é humana, mas "nínfica" (isto é, demoníaca).

Daí o termo Nymphets.

Estou na fase em que Humbert começa a escrever um Diário, em que nos conta todos os seus desejos reprimidos...É como ler o Diário de um doente que se sente sadio.

Há alguns dias atrás estava lendo
este post de nossa amiga Bete, e, coincidentemente comecei a ler o livro citado acima. Por isso me pus a refletir mais sobre o post e o livro:

Conclusão:
Com certeza esse Sr Humbert, um pervertido sexual que quer se redimir e culpar as meninas (9 à 14 anos), pelos seu desejos e comportamentos, é um homem que nunca teve uma boa saúde mental. Mesmo tendo ido parar 3 vezes em um sanatório, seu comportamento não mudou. Talvez até não seja mesmo culpa dele, mas sim de um desvio de personalidade psíquica sem cura, que o leva a ser deste modo.


Preocupação:
O que preocupa na verdade é que não é um caso isolado...
São tantos “Humberts” andando por aí...
Homens pervertidos (por que não dizer tarados) que só se sentem plenos se concretizarem aqueles seus desejos mais obscuros...
Homens que querem, a todo custo, aquela garotinha ( ou garotinho) de 12 anos de idade ( ou até mesmo mais nova)...
Pois é...nem mesmo os padres estão livres deste “Distúrbio” psíquico ...Pois vira e mexe nos deparamos com notícias de padres que abusam sexualmente de garotos em troca de favores...Geralmente crianças, que o fazem em troca de um doce, ou mesmo, um dinheirinho pra ajudar em casa...

Solução:
A única coisa que podemos fazer é ficar de olho em nossos filhos e observar sempre com cuidado qdo um adulto se aproximar querendo fazer um carinho e coisa e tal...Pois essas pessoas, que possuem esse tipo de distúrbio, na maioria das vezes imperceptível, pode estar convivendo conosco ou muito próximos...Pode ser um parente, ou um vizinho...Pode ser alguém, de quem jamais desconfiaríamos, e que ainda não realizou ou concretizou sua fantasia, e está prestes a fazê-lo.

6 comentários:

bete pereira da silva disse...

Lia, li esse livro no final dos anos 80, ele mostra bem a que ponto pode chegar a mente suja de um homem, pois o Humbert era um padrasto. A Lolita era uma garota leviana, mas era uma menina. Vejo muitas Lolitas por aí,e o que é mais absurdo, vejo mães vestindo suas filhas de Lolitas. As mulheres precisam sempre se esforçar pra pensar como pensaria um homem, homem pensa em sexo o tempo todo. Então quando eles veem uma menina de l3 anos, nas suas cabeças eles pensam cafagestagens sim, com raras exceções. Cabe às mães vigiar seus filhos, serem vigilantes, e nunca duvidar de até onde pode chegar um homem excitado.

* O Cantinho da Lia * disse...

Então...comecei ontem...
To na fase em que o "tal" começa aescrever em um diário todas as suas fantasias...
Mas não sei se é baseada em uma história real? Preciso procurar saber...
Mas deve ser, pois sabemos de tantas ou piores por ae...

Luma disse...

Independente da história contada, esse livro você jamais esquecerá pela forma da narrativa. A garota do Nabokov não tem inquietações intelectuais, é uma bonequinha de luxo, vazia que se deixa levar, como outras que sem apoio materno figuram a imagem do pai, mas ele ficou obsecado por ela sexualmente. Alguns dizem que é uma biografia e o livro foi proibido um tempo. Até hoje causa polêmica. Recentemente uma cadeia de lojas da Inglaterra teve que tirar uma cama de seu catálogo porque o nome era lolita, veja
http://www.estranhomasverdade.com/forum/index.php?topic=10426.msg340520#msg340520
A primeira vez que li o livro achei um pouco monótono e acabei por reler. Vai gostar!! Beijus

* O Cantinho da Lia * disse...

É vdd Luma, uma bonequinha de luxo...Que suga e suga...
A estória é mesmo verdadeira(vi no prefácio) e foi escrita pelo Humbert(nome fictício) na Prisão, e ele deixou em testamento o pedido pra que sua obra fosse publicada...Mesmo que fosse assinada por outro.
Fascinante qdo ele diz...
"Senhores do juri, ouvi atentamente..
"Frígidas e nobres senhora dos Juri, eu não fui seu primeiro...

Empolgante...estou já no 3º terço do livro..

Renato Oliveira disse...

Olá Lia.

Tive o prazer de ler "Lolita" de Vladimir Nabokov e devo dizer-lhe que é uma obra prima da literatura.

Apesar de ser uma obra de um caso real, este romancista distinguiu-se pela riqueza imaginativa das suas obras. À mestria estilistica das narrativas, acrescenta-se a originalidade de perspectivas, que por vezes se aproximam do grotesco, da sátira e do insólito.

Continue a ler e verá que esta prosa nunca vai cessar de a surpreender.

Beijinho

Renato

* O Cantinho da Lia * disse...

Oi Renato
Eu acabei de ler o livro...
Amei...
Mesmo sendo Mr. Humbert (Humbert Humbert) um Psicótico Pedófilo, tem nele alguma coisa que nos seduz...
Acho que a forma da narrativa msm, e o modo como ele se faz de vítima muitas vezes...
E claro, a ênfase e o romantismo com que nos fala de Lolita...

Beijinhos...
Se tiver alguma indicação a fazer, já sabe o caminho...